COMPRE AGORA

quinta-feira, dezembro 17, 2015

Calendário METZELER 2016: um tributo à presença do motociclismo nas telas


A 23ª edição foi batizada de “Take the Road” (Pegue a Estrada) e, de acordo com a tradição, tem duas versões. A Clássica, com imagens de filmes que moldaram a história do cinema e a Contemporânea, com fotografias feitas durante as filmagens de películas que participaram das três edições do Motorcycle Film Festival


Munique (Alemanha), 17 de dezembro de 2015 – Intitulado como “Take the Road” (Pegue a Estrada), o Calendário METZELER 2016 celebra, por meio de uma série de fotos de filmes do passado e atuais, o motociclismo e sua história no mundo do cinema. Assim como as próprias motocicletas, o cinema começou no fim do século XIX.

Em sua 23ª edição e de acordo com a tradição, o icônico calendário incorpora duas versões, a Clássica e a Contemporânea. Os entusiastas podem escolher entre imagens predominante em preto e branco, que evocam filmes lendários que contribuíram para a história do cinema e fotos de cenas de películas exibidas nas edições de 2013, 2014 e 2015 do Motorcycle Film Festival. Este festival nasceu em Nova York, há três anos, e oferece o melhor do cinema independente contemporâneo dedicado ao mundo das duas rodas.

“Pegue a Estrada com o ROADTEC™ 01”, a campanha que introduziu o novo pneu sport touring da METZELER, que transforma viagens em uma experiência cinematográfica, tem neste calendário um passo além, que segue o “48 Hours On The Road”. O evento foi uma maratona dos melhores filmes sobre viagens do Motorcycle Film Festival e aconteceu em Milão, em uma semana dedicada ao mundo do motociclismo. De um lado, imagens de filmes históricos. De outro, películas modernas vindas do Motorcycle Film Festival. Uma forma inovadora de lembrar todos os motociclistas que qualquer viagem de moto pode virar uma lenda cinematográfica.

Nascidos no final do século XIX, as motocicletas e o cinema estavam fadados a uma bela parceria. Desde o início, as motos tiveram um papel proeminente nas grandes telas, trazendo diversão, liberdade, emoção, aventura, rebeldia e estilo. Motocicletas, a essência do que é legal e descolado, do companheirismo romântico, do incansável explorador de espaços abertos. Esse calendário exalta as glórias passadas e presentes do cinema.

“Pegue a Estrada – um conto clássico sobre rodas e rolos de filme” é o título da versão Clássica. A foto de capa é da comédia musical No Limit”, de 1935, dirigida por Monty Banks e com o intérprete britânico George Formby. A obra foi filmada na competição Isle of Man TT daquele ano, usando os próprios motociclistas como dublês. O filme foi um grande sucesso na época e, atualmente, uma estátua de George Formby é orgulhosamente exibida na cidade de Douglas, na Ilha de Man.

Os dois primeiros meses do ano retratam o ator James Coburn descansando em uma motocicleta em um intervalo das filmagens de Quando Explode a Vingança”, filme de 1971 de Sergio Leone ambientado no México de 1913, devastado pela revolução.

Março e abril são um mergulho no passado, no período entre a Primeira e a Segunda Guerra Mundial, quando o diretor Phil Whitman filmou “Motoring Mamas” (1929), um clássico do cinema mudo.

O ano 1980 marcou a estreia da obra-prima de Peter Starr Take It To The Limit”. A foto de maio e junho do calendário mostram o campeão de motociclismo Randy Mamola retratado em Laguna Seca pilotando sua moto durante a Spark Plug 200 Classic. Na carenagem, foi montada uma câmera com mais de 13 quilos, necessária para filmar algumas das cenas do filme.

A quinta fotografia da versão Clássica retrata o personagem “Scureza”, da grande obra-prima italiana conhecida mundialmente “Amacord”, filmada em 1973 por Federico Fellini. A página de setembro e outubro tem como protagonista uma garota nua pilotando uma motocicleta no filme “Corrida Contra o Destino”, obra de 1971 do diretor Richard C. Sarafian, considerada um dos marcos do “exploitation” dos anos 70 e que continua a ser, até hoje, um filme popular e cult.

O ano termina com os meses de novembro e dezembro dedicados a outro filme que fez história no cinema, “Mamma Roma”, do diretor italiano Pier Paolo Pasolini. Atualmente, graças as pequenas câmeras de ação, filmar um veículo em movimento pode ser considerado fácil. Mas em 1962, quando Pasolini quis filmar uma cena com Ettore Garofalo e Anna Magnani pilotando uma motocicleta, isso foi considerado como um efeito especial.

“Pegue a Estrada – as melhores cenas do Motorcycle Film Festival 2013-2015” é o nome da versão contemporânea do calendário, estrelando instantâneos de diversos filmes que participaram das três edições do Motorcycle Film Festival. A capa traz "Somewhere Else Tomorrow", filme de 2013 do diretor Daniel Rintz e vencedor da edição de 2014 do festival: duas rodas, um mundo e nada de dinheiro para uma incrível jornada. “1 Map for 2” é o título do filme de 2013 de Roberto Montanari e Danilo Caracciolo que ocupa os meses de janeiro e fevereiro. É um documentário de 70 minutos sobre a extraordinária viagem de moto ao redor do mundo feita por Leopoldo Tartarini e Giorgio Monetti em 1957. Com duas Ducati 175cc, eles cruzaram cinco continentes, 35 países e testemunharam quatro revoluções.

Uma foto de "The Greasy Hands Preachers" (2014) de Clément Beauvais e Arthur de Kersauson foi escolhida para os meses de março e abril. Maio e junho trazem o filme de 2013 “The Best Bar in America”, dirigido por Eric e Damon Ristau e vencedor do Motorcycle Film Festival do mesmo ano. A história é sobre um escritor percorrendo os grandes espaços abertos do Oeste em 1960, pilotando uma BMW R60/2 com um sidecar Velorex para escrever um guia sobre os melhores bares da região.

Outro filme de 2013, “Out of Nothing”, de Chad DeRosa, é o protagonista de julho e agosto. Vencedor da edição de 2015, trata-se de uma inspiradora história real de quatro homens corajosos, que arriscam tudo para conquistar os recordes mundiais de velocidade em moto, correndo no deserto de sal Bonneville Salt Flats, em Utah.

Vem de “Trog”, filme de 2015 de Stephen Marino e Mel Stultz, a imagem que ilustra os meses de setembro e outubro, um sinônimo da liberdade que a motocicleta é capaz de oferecer.

Também vem de 2015 o filme que fecha a versão Contemporânea do calendário, “L'Équipée En Himalaya” de Cécile Ney. É a história de cinco mulheres com suas motos Royal Enfield Bullets, carregadas com mais de 100 quilos de bagagem e combustível extra, percorrendo dois mil quilômetros para conquistar o Himalaia.

O calendário, produzido em colaboração com o Motorcycle Film Festival e a distribuidora italiana Rodaggio Film, foi impresso em edição limitada a seis mil cópias. As medidas são 58 X 47 cm. São sete páginas de alta qualidade e uma cartolina para dividir as versões Clássica e Contemporânea. As páginas foram submetidas a um processo de impressão em cores 5 + 5 com pintura fosca litográfica em ambos os lados, usando papel Magno acetinado de 250 gramas.

Sobre a METZELER
Na estrada desde 1892, a METZELER é uma marca de pneus de motocicletas de origem alemã focada em qualidade e performance. Fundada em Munique há mais de 100 anos, a METZELER sempre teve o objetivo de atingir os mais altos padrões de qualidade e precisão para atender às necessidades e expectativas dos motociclistas.
Na METZELER, todos somos pilotos e entusiastas do motociclismo. Isso significa que conhecemos as reais necessidades, as expectativas e entendemos os anseios dos pilotos.
A missão da METZELER é desenvolver continuamente produtos com tecnologia de ponta para atender às necessidades e expectativas dos motociclistas.
Os pneus de motocicletas da METZELER são produzidos desde 1892, e essa história anda de mãos dadas com a história do motociclismo. Do uso de novos materiais e o desenvolvimento de inovadores desenhos de bandas de rodagem até a introdução de avançados compostos de borracha, aMETZELER está sempre na vanguarda no que se refere a desenvolvimento técnico, qualidade e performance superior em seus pneus.

Fonte:Néctar Comunicação Corporativa / Assessoria de Imprensa da Pirelli

Nenhum comentário:

VÍDEOS

Loading...