COMPRE AGORA

segunda-feira, janeiro 12, 2015

Equipe Mitsubishi Petrobras completa a etapa maratona no Top 10 do Rally Dakar

Carlos Sousa / Paulo Fiuza estão na 9ª colocação da geral e Guilherme Spinelli / Youssef Haddad chegaram em 11º na etapa de hoje, ocupando o 15º no acumulado

Foram dois dias com 1.380 quilômetros sem o contato com a equipe e qualquer assistência. Mas a Equipe Mitsubishi Petrobras completou a etapa maratona e chegou à Iquique, no Chile, pronta para a segunda metade da prova.

Carlos Sousa e Paulo Fiuza completaram o dia entre os 10 melhores da prova. "A sensação de chegar é muito boa. As especiais desses dois dias foram muito bonitas. Toda a população está muito animada com a passagem do Dakar. O objetivo está cumprido e, com o Guiga vindo atrás de nós, a segurança é muito grande", comentou o piloto. A dupla completou a especial de hoje na 10a colocação e estão em 9o na classificação geral.

Guilherme Spinelli e Youssef Haddad ganharam uma posição, ocupando agora o 15o lugar na classificação geral. "Ontem foi extremamente atípico, com muita chuva, lama e trechos alagados. Tivemos uma parte de piso bom, sinuoso, alternando com longas retas. Depois entramos em um piso ruim e fomos limitados pela nossa suspensão. No fim do dia, percebemos que um dos amortecedores havia quebrado, mas fizemos uma mudança na configuração da suspensão para compensar isso. Hoje viemos com muito cuidado e atrás do Carlos e do Paulo, que é nosso objetivo", explica Guiga, que ficou com o 11o lugar nesta etapa.

A prova de hoje teve dois ingredientes marcantes na largada e na chegada. Logo no início da manhã, os veículos se posicionaram no Salar de Uyuni e largaram lado a lado, em grupos de cinco. Para fechar o dia, a descida pela maior duna urbana do mundo, com mais de um quilômetro de altura e quatro de extensão.

"Nunca tinha feito esse tipo de largada em linha, além de termos visto o sol nascendo no Salar. São coisas como essa que marcam o Dakar. Em Iquique é essa chegada maravilhosa", disse Paulo. 

"O Salar não tinha limite de largura", contou Guiga. Foram mais de 100 quilômetros em linha reta por um campo aberto de sal branco em alta velocidade. "A grande dificuldades da maratona foi a chuva de ontem, que mudou a história desses dois dias. Nunca fiz uma etapa com tanta chuva e tanta dificuldade para navegar, não enxergava nada, o pneu destracionava e mudava o hodometro. E acabou complicando também a especial de hoje, já que era na mesma região", comentou Youssef. "Na última duna, quem olha a partir do acampamento não tem noção de como é. Não é fácil. Pra descer, tivemos que seguir por muitas outras dunas, vamos ganhando altura", completa. Guiga ainda explica: "É inacreditável. O ângulo é tão acentuado que a sensação é que estamos caindo, e vai ficando negativo e mais inclinado conforme vamos descendo. O visual é o mais impressionante. Do alto temos a visão do oceano e do acampamento."

Nesta segunda-feira (12) é dia de descanso para os pilotos e muito trabalho para os engenheiros e mecânicos, que farão a manutenção completa dos dois ASX Racing. "O mais importante será conversarmos com a equipe e definir a estratégia para a reta final, se atacamos mais, se mantemos o que temos feito, se mudamos algo na condução. É um dia muito importante para isso também", explica Carlos.

Mas, claro, o repouso para encarar a metade final do Dakar será fundamental "Vamos descansar bastante e não pôr despertador para acordar", brinca Youssef.

A Equipe Mitsubishi Petrobras tem o patrocínio de Mitsubishi Motors, Petrobras, Axalta e Protune.


Fonte: Mitsubishi - Fernando Solano

Nenhum comentário:

VÍDEOS

Loading...