COMPRE AGORA

quarta-feira, maio 16, 2012

FORD E CARROLL SHELBY, UMA PARCERIA QUE ENTROU PARA A HISTÓRIA DO AUTOMOBILISMO

Nos últimos 60 anos, o nome de Carroll Shelby esteve associado a veículos de performance da Ford que se tornaram verdadeiras lendas nas pistas e nas ruas. O Mustang Ford Shelby GT500 2013, com o motor V8 de produção mais potente do mundo, foi a última parceria da marca com o veterano piloto e preparador, que morreu esta semana, deixando um legado de modelos históricos.


"Seja ajudando a Ford a dominar a cena das corridas nos anos 60, seja construindo alguns dos mais famosos Mustangs, o entusiasmo e paixão de Carroll Shelby por grandes carros inspirou todos que trabalharam com ele ao longo de seis décadas. Ele era um grande inovador cuja marca jamais será esquecida na Ford", diz Edsel B. Ford II, membro do Conselho da Ford e bisneto de Henry Ford.

Produzindo veículos de performance excepcionais, desde conceitos a modelos de produção, Carroll Shelby disse uma vez que sua energia e paixão por carros sempre foi maior quando trabalhava com a Ford.

O começo da lenda

Carroll Shelby tinha cerca de 30 anos quando entrou em um carro de corrida pela primeira vez - uma prova de arrancada de quarto de milha em 1952. O carro que o levou para a linha de chegada naquele dia era impulsionado por um Ford V8.

Os primeiros Ford preparados por Shelby foram os legendários Cobras e Shelby Mustangs dos anos 60. Ele participou ativamente no design e engenharia do Ford Shelby Cobra Concept revelado em 2004 e foi um dos membros do "dream team" que construiu o Ford GT 2005.

            Carrol Shelby começou tarde, mas foi um vencedor desde o princípio. Com apenas dois anos de carreira, o gerente de corridas da Aston Martin, John Wyer, o contratou para ser um dos pilotos do DB3 em Sebring. Em poucos meses, o granjeiro do Texas já estava "trocando tinta" com corredores da categoria de Juan Manuel Fangio. Pilotando um Aston Martin DBR1 com Roy Salvadori, ele venceu as famosas 24 Horas de Le Mans em 1959.

No começo de 1962, Shelby pilotou seu segundo carro de corrida com motor Ford. Foi o primeiro protótipo do Cobra - casamento da carroceria de um roadster leve britânico com um bloco pequeno Ford V8, que Shelby tornou lendário. Em janeiro de 1963, ele homologou o carro na categoria GT Grupo III da FIA e no mesmo mês o Cobra venceu sua primeira corrida, derrotando uma brigada de Corvettes Stingray em Riverside, na Califórnia.

Em janeiro de 1965, a Ford contratou Shelby para o programa do Ford GT40. Três carros haviam corrido nas 24 Horas de Le Mans de 1964, mas nenhum chegou ao final. Shelby começou instalando o motor de 7 litros da Stock Car, mais confiável, no carro que ficaria conhecido como GT40 Mark II. Ele mostrou ser muito mais rápido que o Mark I e em 1966 iniciou sua hegemonia nas corridas de longa duração, que durou quatro anos.

Em Le Mans, a Ford e Shelby enfrentavam a Ferrari e em casa competiam com o Corvette. O legendário Shelby Cobra com motor Ford, desenvolvido com base no AC Ace, tinha a vantagem de ser uma tonelada mais leve que o Corvette.

Shelby Mustang

Em agosto de 1964, a Ford pediu a Carroll Shelby para desenvolver um Mustang de alta performance, homologado para as ruas, para competir contra o Corvette na corrida SCCA para carros de produção. Em setembro, a Shelby-American apresentou o primeiro Mustang GT350.

O Shelby Mustang GT350 1965 era um fastback com capô de fibra de vidro e motor V8 de 310 cv - um aumento de 35 cv sobre o original. Os aprimoramentos na suspensão incluíram uma barra estabilizadora dianteira maior, amortecedores Koni e barras de torção traseiras, além de componentes de competição. Ele era vendido por US$4.000 e facilmente reconhecido pela pintura branca com faixas laterais azuis e a inscrição GT350.

O GT350 1966 veio nas cores branco, vermelho, preto, verde e azul e a Hertz comprou cerca de 1.000 unidades para locação aos corredores de fim de semana. Os Mustangs Shelby 1967 trouxeram uma nova carroceria em fibra de vidro, com dupla entrada de ar no capô e spoiler integrado na traseira. O mais importante, porém, era o novo motor GT500 com bloco grande, de 360 cv. As vendas do modelo somaram mais de 2.000 unidades.

O nome "Cobra" foi usado oficialmente em um Mustang Shelby pela primeira vez em 1968, que trouxe também uma versão conversível. O Shelby Cobra GT350 continuou essencialmente o mesmo, mas o GT500 ganhou um novo motor Cobra Jet 428 e tornou-se o GT500KR - referência a "King of the Road", o Rei da Estrada.

Em 1969, penúltimo ano do Shelby Mustang, as opções de motores incluíram o 351 Ram Air, e carroceria com nove aberturas: cinco no capô, uma na frente de cada para-lama e uma em cada lateral. Em 1970, com a queda nas vendas, os últimos Mustangs Shelby produzidos em 1969 foram atualizados para o modelo 1970 e vendidos. O famoso corredor chegou ao fim.

Levou mais de 30 anos para a Ford e Shelby trabalharem juntos novamente. Em março de 2001, Shelby retornou ao time como consultor do novo GT40 Concept. Em março de 2002, a Ford deu sinal verde para a produção do Ford GT. Em abril de 2003, Shelby colaborou no conceito produzido em homenagem ao Shelby Cobra original, que foi a sensação do Salão de Detroit.

Em 2004, a Ford reavivou novamente a paixão dos fãs com a estreia do Ford Shelby GR-1 Concept. J Mays, vice-presidente de Design da Ford, disse que a participação de Shelby estava refletida nos fundamentos do carro.

Em 2008, quando Carroll Shelby completou 85 anos, o primeiro Ford Shelby GT500KR 2008 saiu da linha de montagem, com motor de 547 cv e produção limitada a 1.000 unidades. "Estou sempre buscando um degrau acima quando se trata de performance, e trazer de volta o Mustang King of the Road era o que precisávamos", disse Shelby, que participou ativamente do projeto.

A última parceria de Carroll Shelby com a Ford foi no Ford Shelby GT500 2013, que produz 671 cv e torque de 87,2 kgfm, o motor V8 de produção mais potente do mundo.

Trabalhando com os engenheiros do Time de Veículos Especiais da Ford (SVT) nos campos de provas de Sebring e Arizona, já na casa dos 88 anos, Shelby pilotou algumas vezes por mais de oito horas. Ele estava se divertindo muito e não pensava em parar de trabalhar.

Marcos históricos
A parceria de Carrol Shelby com a Ford resultou em modelos históricos.
1952 - Shelby faz sua primeira corrida na direção de um "hot rod" com motor Ford
1962 - Shelby testa o primeiro AC 260 Roadster com motor Ford, carro que se tornou o Shelby Cobra, produzido no mesmo ano.
1964 - A Ford convida Shelby a desenvolver uma versão de alta performance do Mustang. Os primeiros protótipos Shelby são produzidos.  
1965 - Lançamento do Shelby GT350. A Ford contrata a Shelby-American para supervisionar o programa do GT40. A Hertz adquire modelos GT350H para o seu programa de locação.
1966 - O Ford GT40 Mark II vence as 24 Horas de Le Mans. O primeiro Shelby GT500s 1967 é entregue.
1967 - A Ford e a Shelby-American vencem novamente em Le Mans. Estreia o Shelby Mustang conversível 1968.
1968 - Começa a produção do ano-modelo 1969.
1969 - Fim da produção do Shelby Mustang.
1970 - Ford e Shelby encerram sua parceria nas corridas
2001 - Carroll Shelby é contratado pela Ford como consultor do GT40 Concept.
2002 - Ford aprova a produção do Ford GT.
2003 - Ford convida Shelby a participar do desenvolvimento do conceito que presta homenagem ao Shelby Cobra original.
2004 - Ford Shelby Cobra Concept rouba a cena no Salão de Detroit. A Ford convida Shelby a ser consultor de um novo conceito. Shelby anuncia a construção de uma edição limitada do Shelby Ford Expedition. Ford apresenta o Shelby GR-1 Concept.
2006 - Estreia do Shelby GTH no Salão de Nova York.
2007 - Estreia do GT500.
2008 - O primeiro Ford Shelby GT500KR 2008 sai da linha de produção, ano em que Carroll Shelby comemora 85 anos. Em parceria com a Ford Racing, Shelby se une ao time de competições da fábrica pela primeira vez desde 1969.
2011 - Estreia do Ford Shelby GT500 com 671 cv e torque de 87,2 kgfm, o motor V8 de produção mais potente do mundo.


Fonte:

Imprensa Ford

Nenhum comentário:

VÍDEOS

Loading...