COMPRE AGORA

quarta-feira, março 25, 2015

Chevrolet Opala SS vira miniatura montável



Réplica de 58 centímetros do primeiro carro nacional da marca é uma homenagem aos 

90 anos de atividades da GM no Brasil

Coleção lançada pela Editora Salvat tem 100 fascículos, cada um
com um kit de peças; comercialização acontece em bancas de 
jornais e livrarias

O mítico Chevrolet Opala SS 1976 amarelo vira miniatura para

 ser montado. Com carroceria em metal e materiais de alta qualidade
 (plástico e metal injetado), a réplica em escala 1:8 traz motor e faróis
 que podem ser acesos; conta com rodas que esterçam ao movimento
 do volante, buzina com som original, além de portas, capô e 
porta-malas com mecanismos de abertura e fechamento. Já 
manivelas sobem e descem os vidros laterais dianteiros.

Os kits inéditos virão em partes, distribuído pelos 100 fascículos da 
coleção licenciada pela marca Chevrolet e lançada pela Editora Salvat
 em homenagem aos 90 anos da General Motors do Brasil.

Disponíveis inicialmente em bancas de jornais e livrarias dos 
Estados de São Paulo, Rio de Janeiro e Espirito Santo, os fascículos
 acompanham as instruções e o ferramental necessário à montagem
 da miniatura de 58 cm. Uma obra editorial relata a história e as 
características técnicas do Opala, o primeiro modelo nacional da 
marca Chevrolet.

Os oito primeiros fascículos serão quinzenais, enquanto os 
demais, semanais. O kit número um custa R$ 4,90 e traz, por 
exemploo capô de metal com as duas faixas pretas característico
 da versão esportiva do cupê, além do logo SS para ser fixado na
 grade com moldura cromada.

Uma página oficial no Facebook 
(https://www.facebook.com/pages/Salvat-Opala) foi criada para 
reunir notícias da coleção e detalhes sobre os fascículos futuros.
 Há também uma sessão para que os colecionadores possam tirar
 suas dúvidas ou interagir com outros fãs de miniaturas de carros 
clássicos.

Sobre o Opala SS

Primeiro veículo de passeio produzido pela General Motors do 
Brasil, o Chevrolet Opala foi apresentado em novembro de 1968 
como um automóvel de porte médio destinado às classes A e 
B. Constituiu-se um sucesso imediato, e nos dez primeiros anos 
de produção 500 mil unidades foram produzidas.

Neste período, o modelo ficou marcado por seu amplo leque de 
configurações, que incluía a cultuada versão SS, lançada como 
linha 1971.

Era equipada com câmbio de quatro marchas com alavanca no 
assoalho, suspensão com barra estabilizadora, rodas dianteiras 
com freio a disco e pneus “tala larga”, para altas velocidades. 
Oferecia volante de três raios com melhor empunhadura, rodas 
e faixas com apelo esportivo, bancos individuais e cores 
metálicas. Foi o modelo também que inaugurou o motor 4.100,
uma evolução do propulsor 3.800. Com isso a potência subiu de
 117 para 140 cavalos.

No ano seguinte, o modelo estreava a carroceria cupê, 
cujos destaques eram a ausência da coluna central e a caída
 fluida do teto.

Em 1976 veio o motor 250-S com carburador de corpo
duplo, maior taxa de compressão, tuchos de válvula mecânicos
 que possibilitaram maior rotação e comando de válvulas para 
maior desempenho. O propulsor gerava 171 cavalos, capaz de 
levar o carro a quase 200 km/h –números impressionantes para 
a época.

Este carro já trazia as mudanças estilísticas promovidas na 
linha 75, como o novo capô, as luzes de seta redesenhadas 
e os dois pares de lanternas redondas à la Camaro.

A despedida da versão aconteceu em 1980, ainda a tempo de 
adotar os faróis e as lanternas quadradas que marcariam o 
modelo até quase o final daquela década.

Em abril de 1992, o Opala saia de linha, após 23 anos interruptos 
de produção, com a marca de quase 1 milhão de unidades produzidas.

Fonte: GM Brasil

Nenhum comentário:

VÍDEOS

Loading...